Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

22.01.21

Sobre o Livro #45 Pecados Santos de Nuno Nepomuceno


Tânia Oliveira

Olá :)

Pecados Santos é segundo livro da saga de Afonso Catalão e digamos que, para além de me arrebatar o coração, foi o meu livro preferido de 2020. 

Neste segundo livro da saga, Nuno Nepomuceno aborda com mais profundidade de Afonso Catalão, enquanto este é mais uma vez envolvido na resolução de vários crimes que ocorreram nas sinagogas e imitavam passagens dos 10 Mandamentos. 

Este livro é intenso do príncipio ao fim. Enfrentamos a questão israelita e o ódio com que se deparam, como também vemos as consequências negativas que a sociedade muçulmana sofreu devido ao livro anterior, A Célula Adormecida. Mas este livro não se resume a questões religiosas, é mais abrangente. Envolve questões pessoais, lutas com o passado e tentativas do enterrar de vez. Deparamo-nos com personagens femininas muito variadas, mas nem por isso, descritas como fracas. Fortes à sua maneira e lutadoras, para o bem ou para o mal. Ao contrário do que aconteceu com o livro A Célula Adormecida, as personagens masculinas são fortes, mas não tão fortes como as masculinas. Atrevo-me a dizer que quase assumem um plano secundário, todavia relevante e imprescíndivel para a história. As personagens Alice e Diana são as minhas favoritas, enquanto David e Isabel mexeram com  o meu sistema nervoso. A parte final do livro traz uma reviravolta com as personagens que acho que ninguém estaria a espera. Quer dizer, eu estava porque li o livro seguinte da saga "A Última Ceia" sem ler este antes. 

Pecados Santos remexe com o passado de Afonso Catalão, daí existirem duas linhas temporais distintas, contudo interligadas. Estes capítulos serão importantes para o leitor entender o passado de Afonso. Com este livro entendemos o porquê de ele estar constantemente atormentado, de querer ser deixado em paz, mas atrair problemas ou situações especialmente conflituosas. 

Este foi o meu livro preferido de 2020: o passado conturbado das personagens, a forma como lutam, os aspetos religiosos, os plots twists deram cabo de mim. Já para não falar do final que foi simplesmente uma facada no coração. 

Já agora, digam-me qual foi o vosso livro preferido de 2020 e porquê?

Kisses,

Tânia Oliveira

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.