Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

17.04.20

Sobre o Livro #34 As Gémeas de Auschwitz


Tânia Oliveira

"A nossa única hipótese de fuga acabava de desaparecer."

Eva Mozes Kor

"Se eu tivesse morrido, Mengele teria dado uma injeção letal à minha irmã para fazer uma autópsia dupla. Só me lembro de repetir para mim mesma: tenho de sobreviver, tenho de sobreviver."

Eva Mozes Kor

As Gémeas de Auschwitz

(foto copiada do site almadoslivros.pt )

As Gémeas de Auschtiwz é um livro não-ficção young adult em que o testemunho de Eva Mozes Kor é relatado pelas mãos de Lisa Rojany Buccieri. 

A sinopse deste livro resume-se a alguns fatos terríveis, data à época em que ocorreu. 

Eva e Miriam eram judias.

Eva e Miriam eram gémeas.

Eva e Miriam foram cobaias de Mengele.

(médico que usava judeus de campos de concentração para estudar o corpo humano

e fazer as mais terríveis experiências inimagináveis)

A premissa de ir para um campo de concentração e sobreviver é semelhante a tantas outras obras desta temática. Todavia, marca a diferença com a inclusão de uma personalidade nazi: Josef Mengele, ou também outrora conhecido como "Anjo da Morte". Para quem desconhece o nível atingido pela monstruosidade do Dr. Mengele, vou só dar-vos uma pequena noção: usava gémeos, anões, pessoas com deficiência física ou mental, grávidas ou humanos de "raça inferior" para estudar ou fazer experiências sádicas e cruéis de forma a obter os resultados que pretendia - estudar a genética humana de modo a que a população ariana crescesse rapidamente. Como Eva e Miriam eram gémeas, foi esse fator que as salvou das câmaras de gás, mas condenou-as a serem cobaias de Mengele. 

Foi este fator que me despertou uma grande curiosidade para ler este livro. Não achei que este aspeto tivesse sido desenvolvido o suficiente. Mas, ao contrário de outros livros, este não me desiludiu, por causa disso.

As Gémeas de Auschwitz, como disse antes, é um testemunho. E à medida que o leitor mergulha no testemunho de Eva, ouve-se a sua voz. Sente-se a força que ela teve para sobreviver e poder espalhar a sua história e de tantas outras cobaias pelo mundo fora. O leitor percebe que a coautora Lisa Rojany Buccieri teve a dura tarefa de escrever e de organizar as ideias de Eva, mas todo o texto pertence a Eva. E este aspeto foi aquele que mais gostei do livro. 

O capítulo que mais me tocou foi o epílogo: sente-se na pele toda a dor, tudo aquilo que Eva teve de enfrentar, tanto a nível físico, como mental para ultrapassar todos os pesadelos e todas as dores que Auschwitz lhe provocou, que um conjunto de seres humanos lhe provocou por ser judia. 

Esta obra é uma obra de não-ficção para os mais jovens. Mas se tivesse de recomendar este livro, recomendaria a todos, especialmente aos mais jovens.

Autora: Eva Mozes Kor

CoAutora: Lisa Rojany Buccieri

Editora: Alma dos Livros

Quem é já leu? Quem ficou com vontade ler?

Partilhem as vossas opiniões nos comentários

ou no insta @naomefacamperguntas

ou no twitter @blog_nmfp

Kisses,

Tânia

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.