Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

09.10.19

Ontem, viste o episódio? #17 American Crime Story - O Caso de OJ Simpson


Tânia Oliveira

Hello.

#IBlogEveryday - dia 6 (com atraso, eu sei!) 

American Crime Story é o nome de uma série que aborda de forma impressionante os casos criminais mais polémicos da história dos Estados Unidos da América. O primeiro a ser abordado foi o caso de OJ Simpson e o segundo foi o assassinato de Gianni Versace. 

A primeira temporada retrata todo o aparato mediático que se desenrolou em torno do assassinato da ex-mulher de OJ Simpson - Nicole Brown Simpson - e o namorado dela Rob Goldman.

Para entender o mediatismo que este crime recebeu na época, é necessário entender o tipo de celebridade que OJ Simpson era. Em primeiro lugar, devido ao facto de ser negro e de ter alcançado um grande nível de sucesso, ele era visto como um herói para a comunidade negra. Em segundo lugar, para além de ser bem sucedido a nível desportivo, ele era uma estrela do futebol americano. Devido a isso, ainda conseguiu participar em alguns filmes, o que só lhe garantiu ainda mais fama. 

A sua relação com Nicole Brown sempre fora pautada por altos e baixos, por momentos de tensão que culminavam em atos ou tentativas de agressão. Então, porque é que ele não fora acusado ou simplesmente preso? Porque estávamos nos anos 90, contudo tal como hoje, também as vítimas de violência doméstica tinham medo e refugiavam-se. 

Sendo OJ Simpson uma estrela a nível mundial, conhecido pelas suas festas extravagantes, quando ele foi acusado de assassinato de Nicole Brown Simpson e Rob Goldman, todo o caso foi escrutinado tanto na televisão, como em jornais. Para poderem ter uma noção , decorria uma final de NBA e essa final foi colocada em segundo plano para passarem a perseguição da polícia contra OJ Simpson, para primeiro plano. 

Esta série foi produzida por Ryan Murphy e baseada na obra The Run of His Life: The People v. O.J. Simpson by Jeffrey Toobin. Apesar de não ter lido a obra, creio que deve estar bastante coerente com tudo o que se passou na época. As interpretações estão impressionantes, em particular de Cuba Gooding Jr., como OJ Simpson, de Courtney B. Vance, como líder da equipa de defesa de Oj Simpson - Johnnie Cochran e da advogada do Ministério Público, Marcia Clark, interpretada por Sarah Paulson. John Travolta também participa nesta série, contudo a forma como foi preparado para interpretar o advogado Robert Shapiro, tornou a sua interpretação estranha. 

A série não se foca somente no caso mediático deste crime, também é importante referir que na época existia um grande problema racial em Los Angeles que foi tão brilhantemente aproveitado pela equipa de defesa de OJ Simpson. O racismo está presente em todos os episódios, nas mais diversas formas e interpretações tanto de atores de raça negra da equipa de acusação, como da equipa de defesa. 

Sugiro que vejam a série, ficarão incrédulos com a manipulação dos factos, como facilmente um discurso ou uma prova pode ser reinterpretado/a. Podem ver-na netflix.

Somente para terminar, Oj Simpson deu uma entrevista em 2006, em que explicou com detalhes e cenários como teria assassinado Nicole e Rob. Claro que toda esta explicação era sempre acompanhada de uma palavra, hipoteticamente! Hipoteticamente, ele foi declarado inocente!

Kisses. 

Mummy. 

P.s. A segunda parte deste post será sobre a segunda temporada de American Crime Story.