Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

05.05.19

My Baby Drives Me Crazy #6 - edição de abril 2019


Tânia Oliveira

Olá, 

Tal como aconteceu no Dia Internacional da Mulher, dia 8 de Março, também hoje no Dia da Mãe, vou publicar as duas crónicas no mesmo dia. Espero que gostem :) 

 

"Hello, Baby. 

Hoje é o Dia da Mãe ou também conhecido como:

o Dia em que a Tua Mummy não devia trabalhar ou fazer as coisas normais;

ou 

o Dia em que reconheces, nem que seja por uma questão de horas, que a tua Mummy tem sempre razão;

ou 

o Dia em que te lembras que gostas mais da Mummy do que de chocolates e como hoje podes ficar lamechas, 'bora lá publicar uma foto de momentos nossos numa rede social qualquer. (Não te preocupes que já tratei deste ponto.)

Então hoje deveria dissertar sobre o amor infinito que sinto por ti, pelos sacrifícios que faço por ti e NÃO ME IMPORTO (!), pela forma como me abraças e me sabe melhor do que comer uma fatia de um bolo de brigadeiro, enfim... Já percebeste a ideia! Mas como eu já faço isto nos outros 364 ou 365 (dependendo se o ano é bissexto ou não), vamos lá divagar sobre as tuas outras facetas, sobre as tuas qualidades escondidas que só eu tenho o (des)prazer de conhecer. Prometo que tentarei ser o mais justa possível. Só vou nomear três coisinhas fofinhas que tu tens, vá. 

A primeira: quando te vou buscar ao autocarro. 

Lá chegas tu, depois de um dia na creche, carente dos mimos da mãe, já cansada de ouvir os gritos ou as vozes das auxiliares, talvez sedenta de brincar mais com os teus colegas quando de repente... Chega a tua vez de descer do autocarro. Desces a sorrir, não fazes birra e o melhor de tudo, vens logo ao meu colo. Juro que até parece cena de um filme. Até que a Mummy te pede um beijo e tu nada. A Mummy diz-te "Boa tarde" e tu nada. A Mummy chega ao pé do carro para te colocar no banco e qual é a primeira coisa que dizes?! É Mummy? NÃO! É olá? NÃOO! É gosto de ti? NÃOOOOO! (Vã agora já estou a exagerar.) É chupeta. E depois não te calas, enquanto eu não ta dar. Pior, dou-ta e não me ligas nenhuma. Shame on you! 

A segunda: hora da refeição. 

- Baby, sentas-te na tua cadeira, aqui ao lado da Mummy?

- Não. Aqui (apontando para a cadeira onde me vou sentar.)

Moral da história: Ela senta-se ao meu colo e com o prato dela à frente dela, onde é que ela vai buscar a comida? Vá, Mummies, Tias, Irmãs mais velhas ou mais novas do outro lado do ecrã é preciso dar a resposta ou chegam lá sozinhas? Claro que é ao dela...só que não. 

A terceira: hora do deitar. 

Aqui em casa, existe uma regra, às 21h a Baby vai para a cama. Já veste o pijama sozinha, lava os dentes sozinha e não e preciso ficar ao pé dela, até ela a adormecer, como acontece com qualquer criança de quase 3 anos. É preciso revelar quantas vezes digo, em média, dorme Baby? Essas mesmo que estão a pensar, agora multipliquem por dois. 

Agora, a sério, a Mummy podia escrever muitas palavras bonitas, daquelas que as outras Mummies escrevem tão naturalmente, e bem, mas essas guardo-as só para os teus ouvidos. Reservo-as para os outros 364 ou 365 dias do ano (dependendo se é um ano bissexto ou não). 

Love,

Mummy."