Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

27.10.19

Sobre o livro #22 O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas

Primeiras Impressões- Leitura para O Clube dos Clássicos Vivos


Tânia Oliveira

Hello.

#IBlogEveryday - Dia 24

O livro d'O Conde de Monte Cristo já habita na minha biblioteca pessoal há muitos anos. É uma edição antiga do Círculo de Leitores e está dividida em 3 volumes. Cada um dos volume possui uma capa diferente, mas todos eles estão ilustrados a carvão com um talento único de encher o coração. O escritor desta obra é Alexandre Dumas e o motivo pelo qual estou a lê-la chama-se: Clube dos Clássicos Vivos. Este clube foi criado pela Cláudia Oliveira, da conta A Mulher Que Ama Livros,  pretende ler os clássicos da literatura. Neste clube já li livros, como A Volta Ao Mundo em 80 Dias de Júlio Verne, embora não tenha conseguido concluir a leitura dentro do prazo. 

71316257_1715848901882252_4741614092483118303_n.jpg

Apesar de ainda me encontrar no primeiro volume d'O Conde de Monte Cristo estou completamente rendida à história, à forma como o escritor escreve e agarra o leitor com as suas descrições e enredo. É preciso referir de que a história é mais do que uma história de amor. Esta obra fala também do desejo de vingança, da inveja sentida e da traição realizada de forma tão vil e cobarde. Todo este cenário tem como fundo a história política francesa e todas as lutas políticas entre Napoleão III e o Rei Luis Filipe.

Esta obra está inserida na corrente literária do Romantismo, uma corrente que destacava a personalidade, a sensibilidade, as emoções das personagens. Por estas razões, este livro está recheado de personagens emotivas que exploram os seus sentimentos de derrota e de vitória até ao fim, que valorizam a estrutura e a educação social tão típica da época. 

Até agora, as minhas impressões das 170 páginas lidas são muito boas. Afinal, é um clássico escrito por um génio. Veremos como tudo se desenrola. 

Já leram esta obra?

São fãs de clássicos ou preferem obras contemporâneas?

Contem-me tudo nos comentários ou no instagram do blog ( @IG_BNMFP)

Kisses,

Mummy.