Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

02.04.18

My Baby Drives Me Crazy #3 - edição mês de março


Tânia Oliveira

Hello. 

Ultimamente, a Baby pensa que manda. Ela pensa que já consegue vestir-se, tomar banho sozinha, ir para o autocarro sozinha, comer sozinha. Eu fico deveras admirada com esta atitude, aliás já lhe disse que por este andar, ela já pode começar à procura de um part-time ou mesmo full-time de fim de semana, porque não? Tem de ser é durante o fim de semana, durante a semana ela tem de ir à creche. Está fora de questão, ela abandonar a creche e ir trabalhar a full time. Mesmo, fora de questão!

Mas acho que esse ponto já ficou esclarecido, voltemos ao ponto em que a vou incentivar a ir procurar um trabalho. Acho bem que ela comece a contribuir para as despesas. Já lhe disse que as fraldas estão carissímas, os toalhetes não se falam...Meu deus, e a comida dela???? Um absurdo! Ela tem de começar a contribuir com a parte dela. 

Já ultrapassamos a época em que os pais sustentavam os filhos até aos 18 anos ou mais, agora a tendência é pô-los a trabalhar, a partir dos 3 anos ou até antes. Nos países nórdicos, começam aos 2 anos. Eles são muito à frente. 

E vocês, também já aderiram a esta moda? Os vossos filhos já pagam a despesa deles por completo? Como reagiram?

Kisses,

Mummy

P.s. Relembro esta rubrica é para ser levada na brincadeira...

02.04.18

My Baby Drives Me Crazy #2 - edição mês de fevereiro


Tânia Oliveira

Hello :)

Hoje vou discutir com vocês o drama, o horror de uma mãe querer uns minutos de silêncio e descontração quando vai ao wc. Tal momento só é possível, literalmente, quando Baby está na creche. Não sei como é em vossa casa,mas na minha é quase este cenário. 

A Mummy tenta escapulir-se para ir à casa de banho fazer as suas necessidades, pôr a leitura em dia, quiçá avançar um pouco no jogo da Candy Crush, pensar no que hei-de fazer da vida ou para o jantar ou para o almoço e de repente, ouço alguém a falar na sala: 

 

-Mummy, onde estás?

-Avó, a Mummy escondeu-se aonde?

-Oh Baby, a Mummy escondeu-se para aquele lado (e aponta na direção da casa de banho). 

E aí vai Baby em direção à casa de banho, como se lá estivesse um tesouro de chocolates ou de brinquedos ou simplesmente, o seu bem mais precioso, o colo da Mummy. 

E aí começa Baby a bater na porta, como se alguém estivesse lá aflito ou preso. 

E vencida pelo cansaço dela ou pelos batimentos na porta que já não suporto, interrompo, com calças pelos joelhos e abro-lhe a porta. 

Ela entra e eu volto para o que estava a fazer. Contudo, ela não estava satisfeita. Fechou a porta com uma violência só vista e avança para mim, a uma velocidade descontrolada. Depois, coloca as suas mãos nas minhas pernas e diz: 

- Colo, Mummy. 

Eu, farta daquela situação pelos cabelos, respondo:

-Porra, Baby, não posso ca*ar à vontade?

Ao que ela responde:

-Claro que podes, eu só te quero dar miminhos, enquanto estou sentada no teu colo.

What's the problem, Mummy?

Kisses,

Mummy

P.s. Relembro que qualquer semelhança com a realidade é só pura coincidência ou não...

P.s. 2 A Baby ainda não fala a este nível, mas eu gosto de pensar que ela daria estas respostas ou não...