Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

17.10.19

Sobre o Livro #13 Diz-lhe Que Não de Helena Magalhães


Tânia Oliveira

Hello :)

#IBlogEveryDay - Dia 10

#booksweek

70578650_470896850303566_6626534907383007770_n.jpg

 

O livro Diz-lhe que Não é o terceiro livro escolhido desta #booksweek. Para além de escritora, Helena Magalhães, é uma bookgrammer, feminista, ávida leitora, não tivesse criado um grupo de leitura no instagram (@hmbookgang) e mais recentemente, empresária em nome própria. Está a criar e desenvolver produtos de papelaria (@hellomagapaper), onde também podem descobrir outros produtos, como vasos para plantas ou t-shirts com frases que incentivam o amor próprio e o amor aos livros, está claro.

Imaginei inúmeras vezes como começaria este post, a dada altura imaginei que estaria numa esplanada a falar com a Helena e entre risos e choros, desabafávamos o que nos ia na alma no mundo do amor e das conquistas. Apesar de não a conhecer, acho que não levará a mal se a tratar por tu e em vez de dar a típica opinião do livro, se escrever-lhe uma espécie de carta. Aqui vai:

"Querida Helena, 

Acabei de ler o teu livro e estou a chorar. Eu sei que se contar isto a alguém, vão dizer que estou a exagerar e como é possível simples palavras provocarem-nos lágrimas ou relembrar uma dor já antiga no peito, não é? Já estou a imaginar os risos, mas tu, eu e tantas outras e outros, sabemos bem lá no fundo, que só quem passa por elas, é que sabe o quanto dói, o quanto custa a passar. Eu chorei e chorei bem e agradeço-te por isso. As histórias que partilhaste, bem sei, que não são completamente verdadeiras, mas também não são, de todo, 100% ficcionais, são histórias tuas e das tuas amigas, mas verdade seja dita: essas histórias poderiam ter outras protagonistas e não perderiam qualidade porque essa é a realidade, qualquer uma de nós poderia ser a protagonista numa história tua. 

As histórias que tu escreveste não são todas tristes, algumas dão para rir. Aliás se formos analisar bem, todas elas dão para rir, ou devido ao ridículo que alguns exemplares masculinos chegam ou de como as situações em que nos envolvemos acabam por cair no ridículo. Sim, contra mim falo. Estas histórias são sobre tudo o que o Amor, uma relação entre duas pessoas não deve ser, entre escolher o diferente ao invés do mais fácil, entre escolher o amor próprio ao acomodarmos-nos a alguém que tem medo de ficar sozinho. O Amor é mais do que isto, é mais do que aquilo a que nos habituamos a ter, a viver. 

Não é fácil, tu dizes isso nas entrelinhas, eu sei! Mas também não é suposto ser, não é? Tu escreveste uma frase que me ficou na memória:

"Os meus amigos acham-me complicada, dizem que procuro o impossível, que coloco defeitos em todos os homens.(...) Porque mesmo que uma mulher seja a mulher certa, o homem errado vai continuar a ser o errado."

Tu não imaginas o quanto a passagem anterior me tocou, era o que precisava de "ouvir" e por isso, te agradeço. 

O teu livro deveria ser de leitura obrigatória para todos os seres humanos que acreditam no Amor, todos. Para se tornar daquelas notas mentais que nós escrevemos a nós próprios, em que dizemos que merecemos mais e melhor; que não somos complicados, nem exigentes, simplesmente, não queremos ilusões visto que a ilusões dizemos não e ao amor dizemos sim, nem que seja ao amor próprio!

Por tudo isto, obrigada Helena!"

Para finalizar, devo acrescentar que os textos são fluídos e escritos com a dose de humor necessária para uma pessoa não chegar ao fim de um capítulo sem esperança no ser humano e com vontade de cometer uma loucura. Aconselho a leitura a todos! Vão chorar, mas não se preocupem que não serão só lágrimas de tristeza, também chorarão de tanto rir!

Quem já conhece a escritora Helena Magalhães? Já leram este livro? Ficaram interessados?

Contem-me tudo nos comentários, aqui abaixo, ou na publicação da foto do instagram (IG_BNMFP)

Kisses, 

Mummy

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.