Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

Não Me Façam Perguntas Difíceis a Esta Hora

Um blog sobre os gostos literários, televisivos e cinematográficos de alguém que tem muitas aventuras para partilhar com a sua Baby e sem ela...

08.08.18

Sobre o Livro #8 O Espião Português de Nuno Nepomuceno

Tag #LerOsNossos


Tânia Oliveira

Hello,

Aqui fica (com alguns dias de atraso, I know) o segundo post do mês de Agosto. Este post é a minha opinião sobre o livro de Nuno Nepomuceno. 

Não conhecia este autor, fiquei a conhecê-lo, mais uma vez, através das stories do instagram da Cláudia Oliveira, por causa do seu novo livro Pecados Santos, para quem quiser conhecer a sinopse, basta carregar no título. 

Fiquei curiosa e fui procurar se na minha biblioteca quais os livros disponíveis e foi desta maneira que descobri o livro O Espião Português. Para quem gosta de livros de mistérios, suspense e policiais, não vai ficar desiludido com este livro. Este livro é o primeiro de uma trilogia, o segundo livro chama-se A Espia do Oriente e o terceiro e último livro da trilogia designa-se como A Hora Solene

O livro conta a história, como o título indica, de um espião português que vai descobrindo aos poucos o verdadeiro significado do ditado, nada é o que parece. É, à volta, desta premissa de que toda a história se vai desenrolar. 

A história é muito fácil de ler, acessível na linguagem e cativante o suficiente para que o leitor não queira largar o livro e queira descobrir o que se irá passar com a personagem principal, o André. 

As personagens parecem simples, lineares, mas isso é o que parece. As personagens principais são complexas, tanto as masculinas, como as femininas, especialmente a China Girl. A força e a complexidade das personagens são refletidas na forma como as descrições das cenas de ação são feitas, como também pelos diálogos entres elas. Como se estes fatores não fossem suficientes, o autor decide surpreender o leitor com o inesperado. Obrigada por isso, já sentia saudades do "inesperado" em livros deste género. 

Este "inesperado" deixou-me de tal forma cativada e curiosa para saber o que se irá passar com André e China Girl de que os outros dois livros da trilogia já cá habitam :) Se bem que já desconfio do que se irá passar, mas isso fica para outro post ;)

Kisses, 

Mummy.